Paraná

10/08/2017 | Concebido por Umuarama

O voo dos sonhos: A bordo de um avião, o pequeno Gustavo realizou o sonho de voar

O voo dos sonhos: A bordo de um avião, o pequeno Gustavo realizou o sonho de voar

A manhã desta quinta-feira, 10, foi inesquecível para Gustavo Baptista da Cruz de Lima. Diagnosticado com leucemia em 2010, o garoto passou a fazer tratamento no Hospital Uopeccan de Cascavel e há alguns meses, ele revelou que tinha um sonho: poder voar. Entre as idas e vindas ao Hospital, ele compartilhou este sonho com a mãe e a médica, a doutora Carmem Fiori. “O Gustavo aprendeu a empinar pipa com um amigo e desde que começaram, ele não para de falar nessa história de voar. Um dia, ele falou pra doutora que queria voar para que ele e o amigo fossem as pipas”, conta Clarice Baptista, mãe do Gustavo. “Eu olhava a pipa lá longe e imaginava como era ser igual uma pipa. Aí eu falei que queria voar pra ver tudo lá de cima, igual as pipas que eu empino”, conta o pequeno.

Sabendo deste desejo, o Hospital Uopeccan fez de tudo para tornar o sonho realidade. “Nós conseguimos o avião com a Next Aviation e com o Renato Fávero, um dos nossos diretores, que trabalha no aeroporto de Cascavel. Tudo conspirou a nosso favor. Hoje está um dia lindo, vai dar para o Gu ver a cidade lá de cima e com certeza será inesquecível para ele”, declara a gerente de assuntos institucionais da Uopeccan, Kelyn Aires.

O VOO

O pequeno e corajoso Gu não se mostrou nervoso em nenhum instante. “Eu estou muito feliz. Vai ser muito legal voar”, disse ele, poucos minutos antes do avião decolar. Para compartilhar este momento, o pequeno escolheu três pessoas: a mãe, o amigo Jenisson Magalhães, conhecido como Zé, que ensinou o menino a empinar pipa e o apresentador de TV Oziel Luiz, conhecido como Batatinha, embaixador local do McDia Feliz 2017. “Isso não tem preço. Ganhei o dia, a semana, o mês e o ano com esse menino”, enfatiza Batatinha.

Mas o que é bom, como dizem por aí, dura pouco.  “Foi um prazer imenso. Não tem preço fazer algo assim. A honra foi toda minha”, disse o piloto, Matheus Dutra, ao terminar os procedimentos de pouso da aeronave. No total, o voo teve duração de mais ou menos 20 minutos. Parece pouco, mas para o pequeno Gustavo, esse tempo foi suficiente. “Eu nunca vou me esquecer desse dia. Foi tão, mas tão louco estar lá em cima, que até deu frio na barriga. Não tive medo, mas levei um susto quando vi que o avião era rápido daquele jeito”, comenta. “Lá de cima, parece que as coisas aqui embaixo são tudo de brinquedo. As casas... Tudo. Mas o que eu gostei mesmo foi de ver o lago”, finaliza o menino que, agora, terá mais uma boa lembrança para levar consigo para o resto da vida.

Fonte: UMUARAMA | CIDADE PORTAL | ASSESSORIA DE IMPRENSA

OPINE!

 

CIDADE PORTAL
(44) 3522-7297 | (44) 99979-8991 | (44) 99979-3334 |
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio
de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Site CIDADE PORTAL.